Na última sexta-feira, dia 29 de maio de 2009, auxiliamos para consertar um erro que persistia por cerca de dois anos e um mês. Marcos Aurélio Bobbio foi preso no lugar do irmão que utilizava sua CNH quando foi “mula” para trazer 69 quilos de maconha de Foz do Iguaçu para Vitória, ES.Após verificar o erro, a Polícia Civil, a Justiça e o Ministério Público de Penápolis, interior de São Paulo, corrigiram o erro e solicitaram à Polícia Civil do ES ajuda para prender o real culpado do crime.

Foi expedido Mandado de Prisão para Carlos Jardel Bobbio, 35 anos, e o Alvará de Soltura para Marcos Aurélio Bobbio, 39 anos. Jardel já havia sido preso anteriormente por 03 vezes, por crimes de furto e receptação. Já fora encontrada em sua residência uma kombi “dublê”, mas não localizamos o procedimento criminal.
Cumprimos o Mandado de Prisão cerca de 30 (trinta) minutos antes de ser colocado em liberdade o irmão não acusado pelo crime de tráfico. A prisão foi realizada pela equipe da Assessoria de Informações da Polícia Civil do ES e pela equipe de apoio do Gabinete do Chefe de Polícia.Esta ação foi mais uma prova da eficiência da Polícia Civil do ES, que, mesmo com poucos policiais e poucos recursos, consegue ótimos resultados no combate ao crime em nosso estado.

Se a criminalidade aumenta, certamente a culpa não é só dos órgãos de Segurança Pública do Estado. Mas, acredito, que estamos no caminho certo.

Um detalhe interessante que pode impedir, ou pelo menos atrapalhar, que o “inocente” peça qualquer tipo de reparação financeira ao Estado é o fato de que em momento algum ele alegou que teria sido seu irmão quem cometeu o crime, somente teria negado a autoria do crime, o que quase 100% dos presos alega, inocência, mas não ajudam a elucidar a verdade por trás do crime.

Cabe a ele decidir se entra contra o Estado de São Paulo pela sua “indevida” prisão.

Abaixo alguns links sobre o caso:
Entenda o caso – Folha da Região – SP

Matéria da prisão no Gazeta Online – ES

Matéria da prisão no FolhaVitória – ES

 

Sujeito fica preso dois anos no lugar do irmão
Gostou da leitura?