Segue abaixo notícia retirada da mídia, mais precisamente a Info Online. Em seguida, faço breves comentários, além de trazer maiores informações sobre a respectiva arma não letal.

—–

A polícia do Pará recebeu 200 pistolas que usam choques ao invés de balas para fazer a segurança do Fórum Mundial Social.

O Fórum acontece na cidade de Belém a partir de 27 de janeiro e reúne intelectuais e militantes de partidos políticos e organizações de esquerda em todo o mundo.

Para fazer a segurança do evento, a PM do Pará vai receber 200 pistolas que usam um recurso tecnológico para paralisar pessoas de forma não letal.

A pistola Taser emite choques que, ao atingir a vítima, limita temporariamente a comunicação do cérebro com as pernas. Na prática, isto derruba uma pessoa no chão, que fica paralisada entre 10 segundos a 30 minutos, de acordo com o tamanho e peso da pessoa e do número de vezes que o policial aperta o gatilho.

Arma evita mortes em confrontos

As armas do fabricante Taser foram compradas com recursos da Secretaria Nacional de Segurança Pública e apenas uma parte delas ficará com a polícia do Pará após o evento. Outra parte ficará sob responsabilidade da Secretaria, que poderá emprestá-las a outros Estados que sintam a necessidade de usar o recurso.

 

A ideia é permitir uma forma de repressão policial não letal. Um assaltante em fuga, por exemplo, pode ser paralisado com um choque, algemado e levado à prisão ao invés de levar um tiro de verdade, que poderia matá-lo ou feri-lo com sequelas graves.

As armas de choque são homologadas por grupos de direitos humanos e, se usadas sem exagero pelos policiais, são eficazes para imobilizar uma pessoa. Em algumas situações, no entanto, o excesso de choques pode causar lesões graves nas vítimas.

Fonte: Info Online.

—–

A Taser é uma arma não letal, conforme descrição de seu distribuidor, veja abaixo:

“Arma Não-Letal de Pressão por Ação de Gás Comprimido, que emite “ondas T” (forma de onda semelhante à onda cerebral), com ação direta sobre o sistema nervoso sensorial e sistema nervoso motor do oponente, de forma a paralisá-lo, reduzindo ao máximo possível qualquer possibilidade de dano físico em decorrência da ação da mesma.

A arma permite ao operador o controle total do tempo do disparo, podendo o tempo do disparo ser continuamente prolongado sem intervalo ou instantaneamente interrompido.

A arma dispara dardos com alcance de até 10,6 metros, através de cartucho propelido por nitrogênio – substância não-contaminante, não-tóxica, não-inflamável, não-poluente e não-explosiva.

Para fins de segurança, a arma dispõe de trava ambidestra e cada cartucho possui uma trava de proteção.

Para fins de registro e controle, tanto a arma como cada cartucho possui um número de série específico.

 

Para fins de auditoria, por parte de autoridade fiscalizadora, a arma armazena, em memória digital interna, a data e o horário dos disparos, sendo que o cartucho, por sua vez, contém em seu interior uma quantidade não inferior a 20 “confetes identificadores” com o mesmo número serial do cartucho, de forma que este, ao ser deflagrado, libere os respectivos confetes na cena do disparo.”

—–

Trata-se realmente de um equipamento que certamente vem preencher uma lacuna existente nas forças de segurança pública. Seria interessante que as Polícias de todo o Brasil também dispusessem a seus servidores em serviço a utilização de tal arma não letal.

 

Grande é a quantidade de procedimentos policiais nos quais o suspeito é alvejado com disparos de arma de fogo, vindo a lhe causar ferimentos e até a sua morte.

Porém, a cada ferimento, lesão ou morte ocorrida, mesmo em casos em que o disparo de arma de fogo seja inevitável, percebemos que as Corregedorias, assim como o Ministério Público e a Justiça, não têm sido muito justas para com os policiais que estão ali na labuta diária contra o crime, vindo a lhes punir, seja administrativa, civil ou criminalmente.

Assim, uma das opções para ser somada ao equipamento dos policiais, é a referida pistola Taser, que causa uma incapacidade momentânea no sujeito que recebe o disparo, causando a cessação de sua ação, possibilitando a sua dominação e consequente algemação.

Fica aí a dica para toda a população solicitar de seus Governos que as suas Polícias venham a utilizar a Taser, assim como diversos outros tipos de armas não letais, como o “spray de pimenta”, também eficaz, porém muito pouco utilizado.

 

Fotos: Divulgação comercial e Abordagem Policial.

Polícia do Pará vai usar a Taser
Gostou da leitura?