Clonados?A matéria publicada ontem, dia 09 de agosto de 2010, no Diário Oficial do Estado do Espírito Santo foi bem esclarecedora sobre o que fazer se você constatar que a placa de seu veículo fora “clonada”. Consulta Renavam pode ser uma forma de saber se há multas Detran.

Abaixo republico parte da matéria, o quadro COMO FAZER, nos casos de placa clonada.

Primeiramente o proprietário do veículo supostamente clonado deve ir até a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos fazer a verificação veicular que comprove que o carro é o original.

Após conseguir o laudo pericial, comprovando a originalidade do veículo, o proprietário deve procurar a Delegacia de Defraudações e Falsificações para realizar um boletim de ocorrência.

Com esses documentos, o dono do veículo deve  ir a uma Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) ou Posto de Atendimento Veicular  (PAV) mais perto de sua casa para fazer a notificação de que o carro teria um clone. É preciso levar também cópia da carteira de habilitação, da identidade, do CPF, do comprovante de residência e do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo  (CRLV).

É  importante apresentar  também quatro  fotos do veículo  (frente,  traseira e laterais direita e esquerda). As  fotos podem ser utilizadas na comparação com  imagens  feitas durante uma  infração.

Com o requerimento feito, o Detran/ES envia um comunicado de suspeita de clonagem para os órgãos de fiscalização de trânsito do Estado, como DER-ES, PRF, Polícia Militar e Delegacia de Defraudações. Com as informações, é possível apreender o veículo suspeito, além de ser mais uma ferramenta para ajudar na hora de recorrer de uma multa supostamente cometida pelo veículo  irregular.

Ao receber uma multa indevida, o proprietário do veículo deve recorrer nos prazos estabelecidos no órgão autuador. A suspeita de clonagem registrada no Detran/ES deve ser anexada para auxiliar no cancelamento da infração.

—–

Os sites do Detran normalmente oferecem os serviços de consulta do Renavam do veículo para saber se há multas PRF ou Detran. Caso haja multas estranhas, consulte um advogado.

Em jargão policial, o carro que passou a utilizar a placa clonada de outro sé chamado de dublê.

Felizmente temos visto uma quantidade boa de matérias jornalísticas interessantes no Diário Oficial do Espírito Santo. Vale a pena a leitura.

* Crédito da foto: Rafael R. Corrêa (o autor)

Placa clonada. Consulta Renavam
Gostou da leitura?