Ontem, dia 04 de agosto de 2009, o Núcleo de Repressão aos Crimes Eletrônicos (Crimes Virtuais) da Polícia Civil do Estado do Espírito Santo – Nurecel – realizou a prisão de três pessoas que faziam parte de uma quadrilha de estelionatários que agia anunciando produtos pela Internet em sites como MercadoLivre e QueBarato, recebia os depósitos antecipados e não realizava a entrega do produto adquirido.O Nureccel foi transformado em Delegacia no ano de 2010 e é a mesma coisa que a Delegacia de Crimes Virtuais de outros estados do Brasil, sendo que no ES se chama Delegacia de Repressão aos Crimes Eletrônicos – DRCE.

Crimes Virtuais. Estelionatários Presos

Crimes Virtuais. Estelionatários Presos no ES.

Veja na matéria abaixo a reportagem do Gazeta Online, transcrita a seguir.

Gazeta Online

Três pessoas acusadas de dar golpes pela internet foram presas pela Polícia Civil, na tarde de terça-feira (4). Os suspeitos – dois homens e uma mulher – anunciavam a venda câmeras e filmadoras em dois sites. Mas os produtos nunca chegavam às mãos dos compradores.

Segundo a polícia, o ‘cabeça’ da quadrilha, em Vitória, é Rodrigo Santos Alves, 27 anos. Foram presos, também, Marco Antônio Scotar, 39, e Laudicéia Silva Correia, 48.

Eles foram detidos nos bairros Santo Antônio e Bela Vista, em Vitória. Na residência dos acusados, os policiais apreenderam três computadores, um notebook, quatro celulares e cerca de 10 chips. Os telefones eram usados para fazer os contato com as vítimas.

O delegado Rafael Corrêa, do Núcleo de Repressão a Crimes Eletrônicos (Nurecel) explicou que duas vítimas do Espírito Santo procuraram a delegacia e registraram ocorrência 15 dias atrás.

“Eles anunciavam os produtos e passavam o número do telefone e o MSN para os clientes. A partir daí, convenciam as vítimas a fazer um depósito antecipado na conta de um dos suspeitos. E o produto nunca era entregue”, contou o delegado.

A polícia informou que a quadrilha é bem maior e que apenas uma “célula” foi presa no Espírito Santo. Além das vítimas capixabas, o Nurecel conseguiu levantar outras 10 vítimas de fora do Estado. O prejuízo calculado é R$ 17 mil.

Crimes Virtuais. Estelionatários presos
Gostou da leitura?